Pesquisar este blog

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Cordéis de História, de Abelardo Nogueira, Artemiza Correia, Bruno Paulino, Cícero Modesto e Gutemberg Andrade

O livro Cordéis de História


Lançado no dia 9 de agosto de 2016, na biblioteca municipal de Aracoiaba por Abelardo Nogueira um dos escritores, o livro foi escrito por cinco autores; dentre eles, Abelardo Nogueira já citado, Artemiza Correia, Bruno Paulino, Cícero Modesto e Gutemberg Andrade. No livro encontramos dezenas de cordéis, um mergulho nas profundas artes da literatura.
O lançamento contou com a presença ilustre da escritora e delegada da união brasileira de trovadores de Aracoiaba, Ana Maria Nascimento e do secretario municipal de educação de Aracoiaba, Emilio de Fritas.


Abelardo Nogueira


Abelardo Nogueira ao lado da escritora, Ana Maria Nascimento.
 
Veja um teto escrito por Ana Maria Nascimento, delegada da união brasileira de trovadores de Aracoiaba para Abelardo Nogueira.

Discorrer sobre a poesia de Abelardo Nogueira é mergulhar nas cristalinas águas de um oceano permeado dede inspiração, pois o poeta ao trabalhar sua obra, revela seu potencial artístico literário, com a maestria que lhe é peculiar. 
Ele usa em seus versos sentimentos que induzem ao entusiasmo , ao riso, assim sendo consegue conduzir o leitor pelo caminho da simplicidade dominante na vida do homem que vive em contato com a natureza, como podemos ler nos versos: "... Se fartando na areia, Suje a mão ou suje o pé, Nem precisa apreensão, Pode se melar até..."(in "Balneário Cascatinha"); "... Coisas de rara beleza, Obras que a mãe natureza, Permite-nos contemplar". (in "Um país ao norte").
Abelardo Nogueira se esmerou no trato com as palavras, cantou e decantou seu estro poético ao descrever ao mote; "AMAZÔNIA UM PEDAÇO DO BRASIL, DE COSTUMES E DE DOTES TROPICAIS" e "Balneário cascatinha" assim também ao narrar fatos repulsivos, como "Angruras da corrupção"; dentre outros títulos informativos. Os leitores, certamente, se divertirão com as narrativas do autor, um artífice das letras comprometida com o fazer literário para o povo.
 
Ana Maria Nascimento
 
Postar um comentário